A reciclagem de caixinhas longa vida na construção

Reciclagem de caixinhas longa vida

Utilizadas no envase de alimentos e bebidas, as embalagens longa vida são constituídas de três materiais: 75% de papel cartão, 20% plástico polietileno (PEBD) e 5% de alumínio.

A combinação desses materiais confere à essas embalagens propriedades de resistência mecânica, proteção contra a umidade e bloqueio da entrada de luz e oxigênio. Tais atributos fazem com que os alimentos sejam conservados por um longo período de tempo nessas embalagens, sem precisar de refrigeração enquanto fechados, como é o caso do leite UHT, por exemplo, que pode durar até 6 meses nesse tipo de embalagem.

A maioria das pessoas fica em dúvida na hora de separar embalagens longa vida para destiná-las à reciclagem. Embora muitos pensem que elas não sejam recicláveis, isso não é verdade. As embalagens podem, sim, ser recicladas ou reutilizadas para diversos fins: é possível, até mesmo, utilizar as caixinhas longa vida na construção.

Embalagens Longa Vida

O perigo das embalagens longa vida

Cerca de 70% do lixo seco produzido no país é formado por embalagens de todos os tipos. No caso das longa vida, por serem constituídas de diversos tipos de materiais, a reciclagem é um pouco complexa.

É preciso separar, primeiramente, o papel do plástico e do alumínio, em um processo que solubiliza as fibras de papel em água. O plástico e alumínio podem ser reaproveitados unidos, sendo triturados e prensados no calor para produção de materiais que usam caixinhas longa vida na construção civil, como telhas e placas. Esses materiais também podem ser separados para então ser reciclados, e o processo de fracionamento é feito pela separação térmica.

As embalagens longa vida são bastante densas e podem causar problemas ambientais se inadequadamente descartadas, pois levam muitos anos para se decompor. Por isso, a importância de fazer a destinação correta, enviando-as para reciclagem. Quando as lixeiras de descarte reciclável forem específicas por tipo de material – papel, plástico, metal, vidro – o ideal é colocá-las na de papel, já que esse é o material predominante.

Política de reciclagem

Políticas públicas de reciclagem

O Brasil é um dos líderes mundiais de reciclagem, o CEMPRE mapeou 777 usinas no país em 2016. A liderança se deve ao modelo de reciclagem popular, centrado no trabalho de catadores informais.

Contudo, para que o setor continue avançando neste âmbito, é preciso um maior engajamento na criação de políticas públicas de reciclagem, como, por exemplo, a redução de impostos de forma a desonerar o setor. Hoje, as empresas que buscam trabalhar com matéria-prima reciclada ainda enfrentam desfavorecimento tributário, que acaba desestimulando financeiramente o uso de produtos reciclados.

A criação de instrumentos econômicos e financeiros para o desenvolvimento do setor de reciclagem é prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos, mas são poucos os bons exemplos em funcionamento. O estado do Ceará é modelo no incentivo a investimentos na indústria de reciclagem. O estado aplica a redução de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias – de 17% para 7% para fomentar investimentos na indústria da reciclagem.

Paver Plástico feito com caixinhas longa vida

Utilização de caixinhas longa vida na construção

A reciclagem de materiais reduz a extração de recursos naturais para fabricar novos produtos, diminuindo impactos no uso de água e energia em processos industriais, além de contribuir com a redução na emissão de gases de efeito estufa.

A PlastPrime desenvolveu uma tecnologia de reciclagem que utiliza o plástico oriundo de caixinhas longa vida na construção civil. Por meio dela, a empresa fabrica produtos como o Paver Plástico, o Deck Plástico Modular e a Estrutura Permeável para Telhado Verde.

Ao utilizar materiais provenientes da reciclagem de caixinhas longa vida na construção, as vantagens vão além de contribuir com a preservação do meio ambiente: os custos também são reduzidos. O transporte desses materiais é mais barato, por serem muito mais leves que os tradicionais de concreto. Seus custos com manutenção também são menores, uma vez que são materiais extremamente duráveis e resistentes.

E você, sabia que a reciclagem dessas embalagens era possível? Fazia ideia da aplicação das caixinhas longa vida na construção civil? Caso tenha alguma dúvida sobre esse processo, é só escrever para a gente nos comentários. Até a próxima!

Comentários neste post:

  1. Pingback: Inovação tecnológica: aplicativos sustentáveis - Plastprime

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *