Agricultura urbana: conheça mais sobre essa iniciativa

Você já ouviu falar sobre a agricultura urbana? Pois essa é uma iniciativa que tem se expandido nas grandes cidades e que promete trazer cada vez mais benefícios à sociedade.

Essa aposta tem tudo para se transformar em uma importante forma de produção de alimentos nas metrópoles. E então, que tal saber mais sobre a agricultura urbana, compreender no que consiste essa ideia e qual é a sua importância nos dias de hoje? Descubra tudo a seguir!

O que é a agricultura urbana?

A agricultura urbana consiste na prática de trazer uma parte da produção agrícola para os grandes centros urbanos, considerando tanto os espaços públicos como os espaços privados. Foi a forma encontrada para que a sociedade produza o seu próprio alimento de forma orgânica e sustentável.

A propósito, nesse âmbito, a produção é realizada apenas para consumo próprio ou venda em pequena escala, não representando um comércio com fins de gerar grande lucro, mas, sim, uma nova forma de acesso aos alimentos de qualidade. Ainda assim, não deixa de ser uma forma de valorizar a economia da cidade, baseada no consumo local e na apreciação dos pequenos produtores.

Na agricultura urbana, os produtos se desenvolvem a partir de técnicas simples e sem o uso de substâncias prejudiciais (venenos, agrotóxicos, conservantes) à nossa saúde e ao meio ambiente. Essa prática representa, portanto, uma nova ideologia, que valoriza suas opções de consumo e que compreende a importância dos recursos naturais e de uma alimentação saudável.

Qual é a sua importância para a sociedade atual?

A prática da agricultura urbana tem tudo para beneficiar a qualidade de vida nos grandes centros urbanos. Isso porque, primeiramente, ela contribuirá para a conservação do meio ambiente e de suas belezas naturais. Ou seja, quanto maior é o incentivo à prática, maior será a presença de recursos naturais no espaço – melhorando principalmente a qualidade do ar.

Além disso, é também uma alternativa que beneficia a iniciativa pública e privada de produção de alimentos. Isso valoriza o trabalho do produtor individual e garante alimentos mais saudáveis, livres de agrotóxicos e que sejam fonte de nutrientes importantes para o organismo.

Como produzir?

A principal forma de produção da agricultura urbana são as chamadas hortas orgânicas – geralmente trabalhadas de forma caseira e em pequenas proporções.

Para a idealização desses espaços, não há muito mistério: apenas alguns requisitos básicos de condições de solo e cuidados de manutenção. Para o plantio, é necessário um solo fértil, com localização privilegiada – ou seja, que esteja adequado às necessidades das espécies a serem produzidas no local.

O sol deve incidir de maneira direta, garantindo o desenvolvimento das espécies. Outros cuidados básicos também devem ser considerados, tais como: a rega, a adubação, a atenção às pragas, a proteção do espaço de cultivo, etc.

O que produzir?

Há diversas variedades que podem ser produzidas na lógica da agricultura urbana e, aqui, muito se valoriza aquelas que já são inerentes ao ambiente em questão – ou seja, as que se desenvolvem de maneira espontânea.

Como a ideia é valorizar os produtos orgânicos para consumo próprio, destacam-se variedades como os temperos, os chás, as hortaliças, os legumes, as frutas e algumas sementes. Apenas é importante atentar para as necessidades específicas das espécies escolhidas, para que se desenvolvam de forma saudável no local de produção.

A agricultura urbana é mesmo uma grande ideia que não pode ser deixada de lado. Sua implementação oferece benefícios no curto e longo prazo, garantindo o desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável – que valoriza seus recursos naturais e sua saúde e trabalha em prol da preservação ambiental. Ainda, vislumbra uma mudança de hábitos, que representa mais valorização das formas de produção que trabalham na promoção alimentos saudáveis e do bem-estar coletivo.

E então, ficou interessada em aderir a essa ideia? Você já viu exemplos de agricultura urbana em sua cidade? Deixe sua mensagem nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *