fbpx

Calçadas com acessibilidade: soluções para o trânsito de pedestres

O compromisso de transformar espaços públicos e fazer da cidade um espaço para todos através da acessibilidade é visto por muitos como uma responsabilidade exclusiva dos órgãos públicos como prefeituras.

No entanto, embora hajam algumas divergências e a legislação possa variar de acordo com o município, em linhas gerais as calçadas no entorno de um imóvel são de responsabilidade do proprietário. Por consequência, manter padrões de acessibilidade nas mesmas também é um encargo do morador.

Pensando em te ajudar a garantir a acessibilidade das calçadas no entorno do seu imóvel, apresentamos o artigo de hoje, continue a leitura:

Requisitos para acessibilidade

Para que as cidades possam ser espaços inclusivos é preciso que seus moradores –  incluindo aqui aqueles com algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida – possam circular livremente de forma independente. A norma da ABNT 9050/2004 é conhecida como a “ABNT da acessibilidade” e aborda pontos importantes sobre este tema.

Para que deficientes visuais ou cadeirantes, por exemplo, possam se locomover livremente em calçadas e passeios, essas devem atender à alguns requisitos que trazemos aqui:

Pisos 

Para garantir a acessibilidade em calçadas, a superfície destas deve ser – em qualquer condição – regular, estável e antiderrapante. O piso também deve ter características que garantam que não haja trepidação quando uma cadeira de rodas, por exemplo, circular por esta calçada.

Ainda para assegurar a transitabilidade de pessoas com algum tipo de necessidade especial, inclinações máximas de 3% no sentido transversal e 5% no sentido longitudinal são consideradas aceitáveis.

Juntas de dilatação 

Juntas de dilatação servem para absorver a variação volumétrica dos materiais que compõe a calçada ou passeio, sendo aplicáveis principalmente no caso de pisos de concreto. Para manter a acessibilidade de calçadas, as juntas de dilatação devem estar sempre que possível fora do fluxo principal de circulação e seus vãos transversais devem ter no máximo 15 mm.

Sinalização tátil

Pisos que tenham em sua superfície relevos táteis são importantes principalmente para garantir a acessibilidade de deficientes visuais em calçadas. Normalmente a sinalização tátil é constituída por pisos de borracha antiderrapante que são colados à calçada ou então o relevo é feito diretamente no concreto. Pisos usados para sinalização tátil devem ter contraste de cor com o restante do revestimento.

A modulação do relevo pode ser padronizada em dois tipos, de alerta e direcional. O primeiro serve para sinalizar situações que envolvem risco de segurança. Já o segundo é usado quando há ausência ou descontinuidade, servindo como guia de caminhamento.

Soluções para o trânsito de pedestres

Considerando que a responsabilidade de manter calçadas e passeios acessíveis no entorno do imóvel é responsabilidade do proprietário, selecionamos algumas soluções que podem te ajuda nesse desafio:

PlastPaver

Alternativa mais leve e sustentável do que o tradicional paver de concreto, o paver plástico da PlastPrime não necessita de juntas de dilatação, fazendo com que o revestimento da calçada seja mais uniforme, somando pontos à acessibilidade da mesma.

Além disso, essa solução faz com que a calçada seja uma área permeável, ajudando na redução do fluxo de chuvas que vai para a rede pluvial e contribuindo com a sustentabilidade do planeta.

O PlastPaver também pode ser fabricado em diferentes cores, podendo ser usado para a sinalização de áreas na calçada sem o uso de tintas ou similares.

PlastFloor

O PlastFloor é a solução de piso permeável para área externa da PlastPrime. Pode ser utilizado na composição de áreas externas como garagens, estacionamentos e jardins.

Esse material absorve e dissipa a força aplicada sobre si, garantindo a uniformidade e estabilidade desses espaços, fazendo com cadeirantes possam circular em áreas abertas normalmente inacessíveis para estes. 

Cidade para todos

A responsabilidade de ajudar a construir cidades para todos as pessoas é de todos nós. Para tal, é preciso tomar pequenos cuidados e optar por soluções que ajudem a garantir a acessibilidade de espaços públicos de circulação de pessoas como calçadas e passeios.

Se você gostou desse artigo e gostaria de conhecer mais sobre nossos materiais que ajudam a possibilitar a acessibilidade de espaços públicos, sugerimos que continue a leitura com o post 7 coisas que você deve saber sobre o Paver Plástico.

  1. Pingback: Acessibilidade em estacionamentos: conheça a importância - Blog Plastprime

  2. Pingback: Construção de estacionamentos: o que levar em consideração? - Blog Plastprime

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *