Como funcionam os selos de construção sustentável?

Atualmente, falamos muito em sustentabilidade quando o assunto é construção civil. Para ajudar a difundir essa ideia, foram criadas as famosas certificações – ou selos de construção sustentável. Uma edificação certificada traz credibilidade aos profissionais responsáveis pela obra, beneficiando a natureza e seus moradores. Quer conhecer mais sobre os selos de construção sustentável e como eles funcionam? Acompanhe a leitura.

Importância de certificações sustentáveis na construção

A construção, de forma geral, ainda funciona de forma arcaica. No entanto, a busca por inovação e avanços tecnológicos vem crescendo nos últimos tempos. As certificações sustentáveis têm grande parcela para impulsionar esse seguimento. Conforme o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), o setor imobiliário representa cerca de:

  • 10% do PIB mundial;
  • 40% dos materiais consumidos;
  • 30% da geração de lixo sólido;
  • 20% do consumo de água;
  • 35% de toda a energia consumida pela sociedade.

Observando esses dados, percebemos a necessidade de tomar medidas para reverter esse quadro. Uma das principais medidas vem por meio da racionalização dos recursos naturais, como: água, energia, e insumos construtivos. A existência dos selos de construção sustentáveis são de extrema importância para remediar os impactos negativos neste segmento.

Como funcionam os selos de construção sustentável?

Geralmente, as certificações sustentáveis funcionam através da classificação de itens – obrigatórios ou extras –, cada qual com sua pontuação, e em níveis de categorias (que dependem da quantidade de pontos efetuados). Cada selo estabelece suas próprias classificações e categorias. Estes itens analisados variam, mas partem da premissa dos mesmos pilares:

  • Eficiência Energética;
  • Racionalização de Água;
  • Gestão de resíduos – fornecimento, uso e descarte consciente.

Cada certificação oferece editoriais próprios, explicando os requisitos necessários para alcançar o selo sustentável almejado. 

Selos da construção sustentável

Para entender melhor o funcionamento e aplicação das certificações, conheça alguns dos selos implementados no mercado da construção brasileira:

LEED (Leadership in Energy and Environmental Design)

Mundialmente, a certificação LEED é a mais difundida. Empreendimentos com este selo são vistos com bons olhos no mercado.

Seu sistema internacional foi desenvolvido pelo Green Building Council (GBC). Nele, os projetistas que buscam esta certificação necessitam de oito itens cruciais: localização e transporte; espaço sustentável; eficiência do uso da água; energia e atmosfera; materiais e recursos; qualidade ambiental interna; inovação e processos; e créditos de prioridade regional.

Existem quatro níveis desta certificação e eles são definidos pela sua pontuação: Certificado (40 a 49 pontos); Silver (50 a 59 pontos); Gold (60 a 79 pontos); e Platinum (80 pontos ou mais). 

O LEED é separado em categorias BD+C (Novas Construções), ID+C (Design de Interiores), O+M (Edifícios Existentes), e ND (Bairros). Estas categorias possuem requisitos obrigatórios e exigem créditos extras para serem alcançados. Confira cada uma no GBC Brasil.

Selo Casa Azul

Fundado e financiado no Brasil pela Caixa Econômica Federal, o Selo Casa Azul é um instrumento de classificação socioambiental. Seu objetivo é incentivar o uso racional de recursos naturais na construção e operação dos empreendimentos habitacionais, reduzindo o custo de manutenção dos edifícios e as despesas mensais de seus usuários, entre outros.

Seu sistema avalia 53 critérios (entre eles, 19 obrigatórios) que são distribuídos em seis categorias: qualidade urbana; projeto e conforto; eficiência energética; conservação de recursos materiais; gestão da água; e práticas sociais. São classificados em Bronze (os que possuem apenas os 19 itens obrigatórios), Prata (possuem os obrigatórios e mais seis opcionais) e Ouro (possuem os obrigatórios e mais doze opcionais).

Outros selos de construção sustentáveis aplicados no país são o AQUA-HQE – de origem francesa, o BREEM (Building Research Establishment Environmental Assessment Method) – método mais utilizado no mundo, e a Etiqueta PBE Edifica/Selo Procel Edificações – destinado à eficiência energética das edificações.

Pode-se observar que os selos seguem uma linha semelhante. Todos possuem o objetivo de reconhecer publicamente os empreendedores que adotam práticas mais sustentáveis em seus projetos e construções. Isso incentiva o uso racional de recursos naturais na construção civil.

Se interessou pelo assunto? Conheça mais sobre os selos nesta leitura: Selos de Construção Sustentável e entenda qual se encaixa no seu empreendimento.

Baixe também o nosso e-book gratuito sobre Como Realizar uma Construção Sustentável. Escreva nos comentários o que achou deste conteúdo. Nos vemos na próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *