Conforto ambiental: entenda como promovê-lo na sua casa

O conceito de conforto ambiental vem sendo muito aplicado nos projetos de arquitetura de hoje em dia. O que acontece neste contexto é que a estética e a funcionalidade se atrelam ao conforto – outro fator extremamente importante para o bem-estar e a comodidade de quem está nesses espaços. Por meio dele, os ambientes ficam cada vez mais aconchegantes, com alternativas que propiciam melhor relação com os usuários.

Mas, afinal, como se desenvolve esse conceito? E como ele pode ser aplicado? Confira tudo isso a seguir!

O que é conforto ambiental?

O conforto ambiental consiste em uma premissa da projeção de interiores, a qual determina como essencial proporcionar conforto e bem-estar aos usuários desses espaços. A arquitetura passa a atrelar outros fatores, além dos estéticos e funcionais, na construção dos ambientes – os tornando ainda mais agradáveis para o convívio.

Trata-se de uma ideia em crescente expansão, que promete deixar os espaços mais personalizados e adequados às necessidades do público moderno – e que dá mais ênfase à experiência proporcionada.

O que compreende o conforto ambiental?

O conceito de conforto ambiental compreende quatro diferentes âmbitos: conforto térmico, luminoso, acústico e visual. Cada um desses trabalha um ponto do projeto, mas todos precisam atuar em conjunto para que o objetivo de conforto ambiental seja atendido. A seguir, saiba mais sobre esses componentes.

Conforto térmico

Refere-se à temperatura do ambiente e a suas condições. É preciso garantir que o local seja agradável e que seus habitantes não sofram com temperaturas e condições de ar desconfortáveis. Os recursos de climatização devem ser implementados para garantir tal finalidade: climatizadores de ar (quente e frio), piso térmico, pé-direito duplo, beirais e brises são algumas possibilidades.

Ainda, as plantas são grandes aliadas do conforto térmico. Elas ajudam, de forma natural, a refrigerar o ambiente. Entre as tendências nesse contexto estão os jardins verticais e as paredes verdes – além de deixarem o ambiente muito mais bonito e sustentável, eles ajudam a melhorar seu conforto térmico. E ambas as opções são super fáceis de montar com o uso de módulos para seu desenvolvimento!

Os chamados telhados verdes também podem ser utilizados para isso –  esse recurso pode diminuir até 5ºC da temperatura de um ambiente.

Conforto luminoso

A luminosidade é extremamente importante em um projeto de interiores, e tem reflexo direto na sensação de bem-estar do usuário. Questões como amplitude do local, cor das paredes, posicionamento das janelas, tipo e quantidade de luminárias, além da localização das luzes, precisam ser consideradas para criar o aconchego necessário para o espaço.

Conforto acústico

Manter uma boa acústica nos ambientes faz toda a diferença para uma rotina mais tranquila e agradável. Livrar-se da perturbação sonora da vizinhança ou até de outros cômodos da residência é um ponto que precisa ser pensado na projeção de espaços.

Utilizar bons materiais de isolamento acústico, como tetos de gesso e vidros duplos nas janelas, são o segredo e um “detalhe” que faz toda a diferença.

Ainda, um recurso natural para reduzir a propagação dos ruídos externos é o uso de vegetação como aliada para a absorção e o controle de barulhos indesejados.

Conforto visual

Ainda que o visual seja um conceito estético, é preciso considerar sua importância na contextualização do ambiente e na percepção do usuário. Isso porque a satisfação está diretamente relacionada à admiração do ambiente – que deve ser pensado levando em conta, também, os padrões de beleza dos que nele conviverão. O “bonito” também traz conforto!

Cores, texturas, iluminação adequada e elementos naturais ajudam a proporcionar mais conforto visual aos espaços.

Onde o conceito de conforto ambiental pode ser aplicado?

O conforto ambiental pode – e deve! – ser trabalhado em qualquer tipo de espaço, seja ele de moradia ou empresarial. O importante é ter o entendimento sobre seus princípios e suas formas de aplicação.

O conforto ambiental deve ser desenvolvido no contexto completo da obra e do design de interiores: desde a projeção estrutural até os pequenos de detalhes de decoração. Paredes, janela, piso e teto são pontos essenciais a serem observados.

Também é preciso pensar nas cores, nos móveis, na iluminação, nos elementos naturais e nos acessórios de decoração.

Aplicar o conceito de conforto ambiental nos projetos de arquitetura é uma ideia inteligente e com excelentes resultados. Quando pensado de forma adequada e integrada, é capaz de guiar o desenvolvimento de projetos que cumprem com todas as necessidades que temos para nos sentirmos bem em um ambiente. Com isso, conquistamos mais bem-estar, produtividade e qualidade de vida em nosso dia a dia.

E então, você já conhecia o conceito de conforto ambiental? Aplica algum de seus preceitos em sua casa? Deixe sua mensagem nos comentários e até a próxima. 

One thought on “Conforto ambiental: entenda como promovê-lo na sua casa

  1. Pingback: Como otimizar ambientes pequenos? - Blog Plastprime

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *