Horta caseira: modo de fazer

Corredores externos, sacadas, beirais de apartamentos, fundo do quintal, terraços: todos esses espaços que, muitas vezes, são subutilizados em nossas casas e apartamentos podem virar uma horta para a sua família ou, até mesmo, comunitária, compartilhada entre seus vizinhos. Não sabe começar? Sem problemas. A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) pode te ajudar. A entidade tem um manual completo, que pode ser baixado gratuitamente aqui, com o passo a passo para plantio, dicas de espaços e até informações nutricionais.

 

O consumo de hortaliças e frutas orgânicas é uma tendência: ao longo dos últimos anos, vêm crescendo movimentos que buscam a implementação desses espaços na cidade. Em São Paulo, já existem pelo menos seis hortas comunitárias espalhadas pela capital.

 

Berlim, na Alemanha, é considerada uma das capitais mundiais com mais fazendeiros urbanos no mundo. Em Nova York, no Brooklyn, nasceu o projeto Brooklyn Grange, que usa o terraço de edifícios para produção de orgânicos – até mesmo ovos.

 

Segundo o manual da Embrapa, o único requisito essencial para começar a horta é que o local escolhido tenha, pelo menos, cinco horas de sol por dia, para que as plantas realizem a fotossíntese e completem o seu ciclo de desenvolvimento. Como recipiente, eles indicam várias opções, como garrafas PET, pneus inutilizados, baldes, latas, canteiros suspensos, entre outros.

 

Na ISTO!, produtos como o Revestimento Modular de Parede com Cachepô, os Vasos Empilháveis e o Cachepô de Parede podem ajudar, principalmente se você dispõe de pouco espaço.

 

Só tenha cuidado com o vegetal que escolherá para plantar: alguns deles não permitem o transplantio para outro recipiente, como a cenoura, por exemplo, que deve ser semeada diretamente no local, com profundidade de 1 a 1,5 centímetro. Almeirão, alface e chicória, por terem raízes sem ramificação lateral e mais profundas, também não suportam o transplantio.  Temperos como manjericão, alecrim e hortelã se dão muito bem se plantados em vasos, e vegetais como beterraba, cebolinha e rabanete, também.

 

Seja qual for a sua escolha de vegetais ou espaço, semear uma horta é uma atitude que contribui para a saúde, o meio ambiente e para a melhora do bem-estar nas grandes cidades. É só começar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *