O que é o conceito de Energia Zero?

O conceito de energia zero vem sendo cada vez mais discutido no setor de construção. O assunto está em alta devido, principalmente, aos problemas recorrentes de abastecimento de energia por falta de chuvas, da consciência ambiental que vem se tornando mais forte e devido à legislação, em algumas localidades.

Atualmente existem exemplos reais no Brasil de edifícios energia zero e já existe até mesmo a possibilidade de certificação. Vamos aprender mais sobre?

O que é energia zero?

Edifícios energia zero – também conhecidos como ZEBs do inglês Zero Energy Buildings – são edifícios autossuficientes energeticamente. São empreendimentos que não dependem de nenhuma fonte externa para atender à demanda interna de energia e garantir conforto aos seus usuários.

Não significa necessariamente que o local não tem ligação com a rede de energia, ele pode até mesmo consumir energia da rede em alguns momentos. Mas em outros momentos ele também produz energia que é enviada à rede, compensando seu consumo de modo que esse balanço seja igual a zero ou até mesmo positivo.

A grande maioria dos edifícios energia zero opta pela produção de energia solar através de painéis fotovoltaicos. Existem casos em que a energia eólica, de biomassa e até mesmo geotérmica podem ser utilizadas também. Porém, não pense que uma construção energia zero é simplesmente um local com produção de energia própria. O conceito é muito mais abrangente do que isso.

Fases de implementação de um projeto energia zero

Para que um edifício seja considerado energia zero, não basta simplesmente que ele tenha painéis solares produzindo energia para mantê-lo. O entendimento vai além disso, um projeto energia zero pode-se ser dividido em três etapas:

Fase 1 – Redução do Consumo

O primeiro passo é a redução da necessidade de consumo de energia. Não se trata do uso de recursos tecnológicos e sim em escolhas arquitetônicas adequadas ao clima.

A redução do consumo envolve um projeto que priorize a ventilação, um bom desempenho térmico e a iluminação natural. Opções como a construção de telhado ou parede verde são boas escolhas nessa etapa.

Fase 2 – Sistemas eficientes

A segunda fase é a implantação de sistemas eficientes para que o consumo de energia seja feito de forma inteligente. Envolve principalmente a implantação de sistemas ativos de condicionamento de ar eficientes e também um projeto de iluminação artificial otimizado.

Para a iluminação, é interessante priorizar o uso de lâmpadas de LED e também o uso de sistema de automação, que acendem as luzes apenas quando necessário e que as desligam quando não houver movimento no ambiente.

Fase 3- Produção autônoma de energia

A terceira fase é a produção de energia que será consumida de forma eficiente – Fase 2 – e apenas quando necessária – Fase 1.

É o momento de projetar como a energia necessária para manter o empreendimento será produzida. A opção, evidentemente, deve ser uma fonte de energia limpa, sendo a energia solar a mais usada em edifícios energia zero.

Certificação

A GBC Brasil, responsável pela certificação LEED no Brasil também certifica edifícios zero energia no país. O selo é concedido a edifícios que comprovam o balanço zero de consumo de energia através da geração de energias renováveis combinadas à alta eficiência energética do empreendimento.

Para a obtenção da certificação, o consumo é monitorado continuamente pelo período de um ano.

 

Onde já é realidade

Em alguns países da Europa, Estados Unidos e Japão já existem legislações para edifícios energia zero, cujo obrigatoriedade deve começar a valer por volta de 2020. No Brasil, já temos alguns exemplos de edifícios energia zero também.

Em Florianópolis-SC, a Creche Municipal Hassis inaugurada em 2015 foi a primeira creche do país a receber a certificação LEED. O local conta com painéis fotovoltaicos que produzem energia para o local e enviam o excedente à rede pública. Além disso, a creche também aproveita a água da chuva, seus estacionamentos são áreas permeáveis e sua arquitetura prioriza o conforto térmico através do uso de materiais inteligentes.

Outros exemplos de edifícios energia zero são o Estádio Mineirão, o ECB Bayer e o Catuçaba Ecovila, saiba mais sobre eles aqui.

Você á tinha ouvido falar no conceito de energia zero? Caso tenha alguma dúvida, use o espaço dos comentários para perguntar.

Se você está interessado em realizar um projeto energia zero, converse com a nossa equipe e saiba como os produtos PlastPrime podem ajudar no seu projeto!

Comentários neste post:

  1. Pingback: Projetos sustentáveis que você precisa conhecer - Plastprime

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *