O que fazer com o lixo eletrônico?

A cada ano, a quantidade de novos produtos eletrônicos que são lançados no mercado é, sem dúvidas, impressionante. São novos computadores, smartphones, câmeras fotográficas e tablets, que, mesmo aquelas pessoas que não são tão ligadas em tecnologia, acabam se rendendo e comprando um novo modelo.

Não é preciso procurar muito: em qualquer residência, é possível encontrar um celular ou computador abandonado em algum canto porque parou de funcionar repentinamente, ou, simplesmente, porque foi trocado por outro mais moderno.

Isso porque as estratégias de marketing dos fabricantes desses produtos, combinada com a obsolescência programada, incentivam para que estejamos sempre adquirindo novos produtos. E isso faz com que a quantidade de lixo eletrônico produzida seja cada vez maior.

Mas você sabe o que fazer com o seu lixo eletrônico? Acompanhe o post de hoje.

O que é lixo eletrônico?

Todo e qualquer descarte de equipamentos eletrônicos e seus componentes é lixo eletrônico. Os exemplos mais comuns são monitores, telefones, pilhas, baterias, televisores, teclados e mouses.

Quando esses materiais chegam ao fim de sua vida útil, devem ser adequadamente descartados, pois levam em seus componentes uma série de elementos tóxicos, como mercúrio, chumbo, fósforo e cádmio. O descarte incorreto do lixo eletrônico pode levar à contaminação do lençol freático com esses metais pesados, o que é extremamente grave para o meio ambiente e a saúde humana.

A ONU publica, anualmente, um estudo chamado de Global E-Waste Monitor, que apresenta um panorama mundial da situação do lixo eletrônico. O último estudo publicado apontou que, apenas no ano de 2016, foram geradas 44,7 milhões de toneladas de lixo eletrônico, e cerca de 80% não teve a destinação correta.

O que se deve fazer com o lixo eletrônico?

O lixo eletrônico não pode ser descartado junto com o lixo comum, devido a presença de metais pesados em sua composição, como já vimos. Sendo assim, ele deve ser entregue na loja onde foi comprado, para que seja devolvido ao seu fabricante, que dará o destino correto ao material. Dentre os possíveis, estão:

  • Remanufatura: é aplicável no caso de computadores, por exemplo, que ainda estão funcionais e podem ser utilizados para outros fins;
  • Reciclagem: componentes de materiais eletrônicos podem ser separados para posterior reciclagem;
  • Descarte em aterro próprio ou incineração: quando o produto não possui materiais de interesse para reciclagem, ou esse processo não é vantajoso economicamente, as opções restantes são o descarte em aterro especial ou a incineração controlada. Os disquetes de computador têm esse destino, por exemplo.

Como funciona o descarte?

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) de 2010 instituiu a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos materiais. Dessa forma, o consumidor, o fabricante e, também, os órgãos públicos têm compromisso no descarte do lixo eletrônico:

  • Consumidor: é responsável por levar os materiais a serem descartados a um posto de coleta adequado;
  • Fabricante (ou importador): deve informar o consumidor sobre os postos de coleta e aplicar a logística reversa;
  • Estado: tem a obrigação de cobrar a execução da lei e incentivar que todos a cumpram. fazendo campanhas educativas, por exemplo.

Empresas que coletam e compram

Existem diversas iniciativas para orientar o consumidor sobre o destino correto de materiais. O portal eCycle oferece um sistema de busca por tipo de lixo e CEP, que ajuda o consumidor a encontrar o local adequado para descartar o seu lixo eletrônico.

Outra iniciativa interessante é a Recicladora Urbana, pioneira no Brasil em logística reversa para produtos eletrônicos. A empresa ajuda pequenos negócios a se adequarem à PNRS, aplicando a logística reversa para equipamentos eletrônicos.

Ao recolher produtos eletrônicos, a empresa procura, sempre que possível, remanufaturá-los, reinserindo-os no ciclo da cadeia consumidora e aumentando, assim, seu ciclo de vida. Nesse contexto, quando uma companhia possui computadores em desuso, a Recicladora Urbana recolhe essas máquinas e avalia quais ainda estão em condições de uso. Estes são recondicionados, submetidos a testes de qualidade semelhante aos de produtos novos e, então, são fornecidas a empresas do terceiro setor, com um preço acessível. Quando isso não é possível, os componentes separados e destinados à reciclagem.

E então, como você costuma descartar o seu lixo eletrônico? Se você ficou com alguma dúvida, escreva para a gente nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eBOOK GRATUITO!

 TELHADO VERDE: COMO E POR QUE FAZER?