Plantas de cobertura: saiba o que é e para quê servem!

Você já ouviu falar sobre as plantas de cobertura? Talvez o assunto até seja novidade para você, mas com certeza essas são espécies que interferem muito na sua rotina de alimentação. E sabe por quê? Porque elas são plantas ligadas à atividade agrícola e desempenham um importante papel para a produção de frutas, verduras, legumes e grãos de qualidade para a sua mesa.

Que tal descobrir mais sobre o assunto? No artigo de hoje, saiba mais sobre o que são as plantas de cobertura e para o que elas servem. Acompanhe.

Afinal, o que são as plantas de cobertura?

Como a denominação sugere, as plantas de cobertura são responsáveis por cobrirem o solo. São muito utilizadas na agricultura como suporte para outras espécies. São variedades que não sugerem a colheita, mas sim a manutenção do espaço.

O revestimento com as plantas de cobertura pode ser utilizado para variados fins, especialmente relacionados à proteção e ao desenvolvimento do plantio em questão. Incluindo esse tipo de variedade no espaço agrícola, o solo tende a se tornar mais fértil, menos erosivo e com força para desenvolvimento. É uma alternativa que faz diferença para uma colheita eficiente.

Além disso, há opção de utilizar essas espécies para a cobertura de projetos paisagísticos, como os telhados verdes nas edificações urbanas, ajudando a purificar o ar e a trazer conforto térmico para o entorno do edifício.

Então, por que usar as plantas de cobertura?

O uso das plantas de cobertura é muito indicado para a garantia de um plantio saudável e livre de intercorrências. Essas plantas ajudam a construir condições favoráveis, bem como proteger as espécies de agentes externos, viabilizando assim o desenvolvimento eficaz.

As plantas de cobertura melhoram as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo, elevando a capacidade do plantio – especialmente, em relação à fertilidade e à absorção de nutrientes.

O que acontece é que as plantas de cobertura evitam o processo de erosão do solo e incentivam a produção de matéria orgânica, refletindo um comportamento mais forte e resistente para o crescimento das demais variedades. Além disso, vale reforçar que essas plantas desempenham papel importante no controle de pragas, evitando a ação de ervas daninhas e outras possíveis ameaças para o solo. Assim, utilizar as plantas de cobertura é uma segurança extra que proporciona diversos benefícios para uma boa produção agrícola.

Já no contexto do paisagismo, essas espécies ajudam na decoração sustentável de espaços verdes, ajudando a reduzir as ilhas de calor características das grandes metrópoles.

O que deve ser observado na hora de escolher as melhores plantas de cobertura?

Alguns requisitos precisam ser estabelecidos para a escolha das melhores espécies de plantas de cobertura. Caso contrário, os benefícios com a sua utilização podem não ser tão eficientes quanto se espera.

O ideal é que sejam variedades de fácil adaptação, que apresentem boa capacidade de cobertura do solo, que não sejam hospedeiras de pragas e doenças, que apresentem boa evolução e tenham uma boa produção de nutrientes.

Ainda, vale a pena estudar o solo a ser feito o plantio para identificar possíveis necessidades mais específicas. Cada espaço apresenta peculiaridades distintas, as quais acabam refletindo na escolha da planta de cobertura ideal. 

E quais são as espécies mais utilizadas como plantas de cobertura?

Há algumas espécies que se destacam quando o assunto são plantas de cobertura, o que se deve às suas características de plantio. Dentre as mais utilizadas para esse fim, estão algumas leguminosas (como a crolatária, o guandú-anão e a mucuna-preta) e gramíneas (como o milheto, o sorgo, a brachiaria e a aveia). Mas lembre-se de que não há padrões para a escolha, afinal, cada espaço apresenta necessidades diferentes que precisam ser supridas.

O uso das plantas de cobertura se caracteriza como um dos grandes segredos de plantações agrícolas com bons resultados. Elas ajudam de forma eficiente o desenvolvimento das espécies, potencializando os efeitos de fertilidade, nutrição e proteção do solo em questão. Investir nessa ideia faz mesmo toda a diferença.

No contexto do paisagismo, espécies como bulbine, dinheiro em penca, capuchinha e verbena são bastante utilizadas, por apresentarem fácil manutenção, ótimas capacidades adaptativas e potencial ornamental.

E então, você já conhecia as plantas de cobertura? O que achou do potencial dessas espécies? Deixe sua mensagem nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *