Vai viajar? Veja dicas de cuidados para suas plantas

Quando marcamos uma viagem, diversos preparativos passam por nossa mente, incluindo cuidados com a segurança do lar, com nossos pets – que hoje já contam com serviços como hotel ou pet sitter – e com nossas plantas. Isso mesmo, os cuidados com plantas também devem fazer parte desse planejamento, a fim de que, quando se chega de viagem, elas não estejam murchas, doentes ou mesmo mortas.

Para ajudá-la nisso, organizamos, no artigo de hoje, algumas dicas para manter suas plantinhas bonitas e saudáveis, mesmo durante sua ausência de casa. Confira a seguir!

6 dicas de cuidados com plantas para quando você for viajar

Na hora de planejar os cuidados com plantas nos períodos de ausência, muitas pessoas acabam pedindo ajuda a parentes ou amigos para regá-las. Mas, será que não há outras possibilidades?

Há e várias! Confira agora algumas boas práticas para ajudar a manter a saúde e a beleza das suas plantas enquanto você viaja. 

1. Substrato para potencializar a hidratação das plantas

Há algumas espécies que ficam bem mesmo com pouca rega. Entretanto, há outras que demandam mais água para manterem-se vivas. Pensando nisso, há quem, antes de sair, faça uma rega caprichada, imaginando que isso ajudará suas plantinhas. Porém, na verdade, essa prática pode apodrecer suas raízes. 

Para evitar essa situação, uma das possibilidades é utilizar um substrato adequado que favoreça a retenção de água – por exemplo, o vermiculita. Esse é um composto arenoso que absorve água e auxilia na manutenção da hidratação do solo por um período maior, possibilitando, assim, um intervalo mais extenso entre uma irrigação e outra. 

2. Gotejador

O gotejador é um dos grandes aliados de quem vai viajar e precisa providenciar cuidados com plantas. Esse instrumento possibilita uma rega contínua do solo, em velocidades variadas.

Para utilizá-lo, você pode acoplá-lo a uma garrafa PET e fixá-lo no substrato. Depois, ajuste a velocidade do gotejamento e abra a “torneirinha”. Uma dica importante é escolher o tamanho da garrafa conforme o período de ausência – isso é, para viagens mais longas, utilizar garrafas maiores, de 3 litros, por exemplo. 

Vale salientar também que é importante conhecer a necessidade de rega da espécie, para que ela não fique encharcada, recebendo mais água do que precisa. Enquanto as plantas herbáceas, por exemplo, demandam mais rega, há as suculentas que têm uma necessidade menor. Portanto, leve isso em consideração.

3. Outras alternativas caseiras para a hidratação das plantas

Além do gotejador, pensando principalmente em espécies que precisam de regas menos frequentes, há opções caseiras que podem ajudar você a manter os cuidados com plantas durante suas viagens:

  • Barbante: coloque uma vasilha com água e estenda um barbante entre o vaso da plantinha e a vasilha. Por capilaridade, a água irá de um recipiente ao outro. Se optar por esse método, lembre-se de cobrir a vasilha para evitar a proliferação de mosquito da dengue. 
  • Folha de jornal: nesse método, baste umedecer algo em torno de cinco folhas de jornal, colocando-as sobre a terra no vasinho, ao redor da planta. Além de ajudar a protegê-la do sol, também auxilia na manutenção da umidade da terra. 
  • Garrafa: outra ideia é fazer um furo na extremidade inferior de uma garrafa PET (pequeno, para que a água saia vagarosamente), enchê-la de água e inseri-la na terra do vaso virada. 

4. Hidro jardineiras/utensílios com suporte para sistema de irrigação

Essa é outra possibilidade que pode ser utilizada para as plantas mais delicadas. As hidro jardineiras são vasinhos que contam com um depósito próprio de água na parte inferior, a fim de fornecer a água diretamente para a raiz da espécie. 

Outro recurso interessante são os módulos de jardim vertical que são compatíveis com sistema de irrigação e drenagem dos módulos, que podem ser úteis também em momentos de ausência.

5. Sol e ambiente 

Entre os cuidados com plantas no período de viagem também deve-se pensar sobre a incidência solar e onde deixar suas espécies. Para quem se ausentará por mais tempo, pode ser melhor colocar as variedades em espaço com menos sol, mas que provenha luz solar indireta – pertinho de janelas, por exemplo. É importante também que esse local não seja totalmente escuro ou abafado. 

Outra boa ideia é deixar os vasos mais próximos, de modo a criar um microclima benéfico para as plantas.

6. Adubação

Além da água, as plantas poderão precisar de nutrientes, principalmente pensando em períodos maiores de recesso. Nessas situações, mesmo que a água recebida não seja na quantidade ideal, o solo adubado favorece que a plantinha sinta menos a temperatura quente e demande menos rega. O recomendado é utilizar adubo orgânico nesses casos, já que o químico poderá até mesmo queimar sua vegetação. 

Esperamos que, com essas dicas, fique mais fácil agora planejar os cuidados com plantas em sua ausência e que você consiga aproveitar melhor sua viagem sem a preocupação com a saúde de suas espécies!

Você tem algum outro conselho para ajudar a manter as plantas saudáveis durante os recessos? Compartilhe sua mensagem com a gente pelos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *